Filmes

De Volta ao Jogo

14/12/2014
Lançamento:Novembro de 2014
                      
Direção:David Leitch e Chad Stahelski

 

Sinopse:John Wick (Keanu Reeves) já foi um dos assassinos mais temidos da cidade de Nova York, trabalhando em parceria com a máfia russa. Um dia, ele decide se aposentar, e neste período tem que lidar com a triste morte de sua esposa. Vítima de uma doença grave, ela já previa a sua própria morte, e deu de presente ao marido um cachorro para cuidar em seu período de luto. No entanto, poucos dias após o funeral, o cachorro é morto por ladrões que roubam o seu carro. John Wick parte em busca de vingança contra estes homens que ele já conhecia muito bem, e que roubaram o último símbolo da mulher que ele amava.

 

Alguns disseram que este filme poderia ser à volta em grande estilo de Keanu Reeves depois do suposto fracasso do filme 47 ronin. Digo suposto porque as pessoas não entendem que aquele filme foi uma adaptação de um relato ficcional sobre um grupo real de samurais do Japão do século XVIII que vingaram a morte de seu mestre. Aquele filme foi extremamente fiel aos atos daquele povo naquela época. Por isso não podíamos esperar romance ou coisas que normalmente o público gosta.
Voltando para o filme em questão, antes de assistir o filme li uma crítica horrível sobre o filme e muitos comentários opostos a aquela crítica. O que me deixou ainda mais curiosa. Confiando no incrível gosto de Keanu para aceitar filmes, fui ver para tirar minhas próprias conclusões sobre a trama. O cinema estava muito vazio e não acho que estejam fazendo uma divulgação apropriada deste filme, algo que tem sido muito corriqueiro no mundo do cinema.

Hoje não temos mais nenhum referencial de bons filmes policiais e de ação, visto que o gênero de ficção ou de adaptação de livros para o cinema tem tomado conta da bilheteria. Então vemos a figura de John Wick, um assassino frio que trabalhava com a máfia russa, aposentado e cuidando de sua esposa em estágio terminal de uma doença. Ela morre e deixa um presente para ele. Ela o conhecia e sabia que o único amor que ele nutria na vida era por ela e que ficaria com um imenso vazio depois da partida dela, então organizou para que quando fosse enterrada entregassem na casa de seu esposo um filhote de cão para que ele voltasse a amar.

 

Este é o único ponto que realmente me deixou insatisfeita no filme. Não há tempo suficiente para que o espectador crie alguma conexão emocional com o cãozinho ou com a esposa falecida logo no inicio do filme, mas todo o resto é perfeito para o gênero de ação. Uma das muitas curiosidades do filme é que Keanu fez 90% das cenas de ação.
John Wick é retratado no filme como um dos piores assassinos que se poderia enfrentar, o tipo de ser que se manda para matar um bicho papão e obtêm sucesso. Essa é uma metáfora muito usada no filme todo para definir o protagonista. Seus inimigos contam vários casos onde ele atuou e um dos que se destaca é o fato de usar apenas um lápis para matar três pessoas num bar.
A trilha sonora do filme é incrível, não há nenhum filme de ação que tenha visto com aquele estilo de música, mas ele casou perfeitamente com as cenas de ação e de reflexão de John. A mira da arma dele é perfeita, o que realmente não poderia perder nem depois de cinco anos afastado, como se diz no filme, aposentado. Sua personalidade fria e determinada faz com que ele fale muito pouco e isso é um trunfo no filme. Não é preciso que ele fale ou explique o que está sentindo, sua expressão facial e seu próprio silêncio passam todas as informações necessárias.
Neste filme podemos ver muitas referências dos dias atuais como ataques de guerrilha no meio da rua. E grandes sociedades que fazem suas próprias leis como o Hotel Continental, no qual todos os assassinos se hospedam e usam uma moeda especial de assassinos para pagar os serviços. Naquele lugar é completamente proibido que se façam negócios então quem quebra as regras é duramente punido.
Confesso que fiquei totalmente conectada com o filme e torço muito para que continuem fazendo mais filmes e gerem uma grande franquia. Quando o filme termina ficamos ainda mais curiosos sobre o passado de John Wick e de como ele largou a máfia para viver como uma pessoa comum juntamente com sua esposa.
Além disso, seu futuro é totalmente incerto. Seria muito inapropriado criarem um par romântico para ele neste filme, já que ele sofre a perda de sua esposa em todos os momentos no filme, porém tenho a certeza que todos nós queremos um novo herói de ação. Com um estilo diferente e que possa bater de frente com aquelas famosas franquias que muitos de nós crescemos vendo como Máquina Mortífera e Duro de Matar. Jonh Wick é um forte candidato a este posto.


 

Você pode ler também...

Sem comentários

Leave a Reply