Entre o Amor e o Silêncio – Babi A. Sette

downloadEditora: Novo Século

Sinopse: Francesca Wiggs sofreu uma grande decepção amorosa e, desde então, está decidida a não se relacionar mais. Além de se dedicar a escrever o seu livro, ela resolve preencher os dias com um trabalho voluntário – a leitura para pacientes em coma proporcionaria a ela a distância de problemas afetivos. No entanto, um grande imprevisto ocorre quando ela passa a se sentir atraída por um dos pacientes. Mitchell, descrito como um poderoso magnata, seria a antítese de tudo o que ela busca em um homem… se não estivesse em coma. Precisar de alguém inconsciente seria um absurdo, não seria? Amar uma pessoa que nunca responde parece loucura! Francesca já havia entendido e sentia-se quase segura diante disso. Mas e se Mitchell acordasse?

Nunca me assustei com livros grossos, na verdade eles sempre me atraíram. Se o autor consegue escrever uma história com tantas folhas, é porque a história deve ser muito boa, na verdade ela precisa ser muito boa. Esse sempre foi meu pensamento. Entre o Amor e o Silêncio possui 502 páginas e uma diagramação simples, mas muito bonita. Impossível não ser atraído pela capa, mas o que mais me chamou a atenção foi a história mesmo. Nunca havia lido nada dentro dessa perspectiva.

Francesca estava quase noiva de seu namorado Vince, diretor de teatro, mas ela o flagra em uma traição. E o pior, no mesmo local onde teve a primeira noite de amor com ele. Isso a magoou profundamente. No inicio você acha que as palavras dela são de apenas uma mulher ferida e que logo ela irá ceder as investidas de Vince, afinal ele era o seu grande amor… Mas não é bem por aí que a escritora segue a história.

Francesca não é uma mulher qualquer, ela tem peso e história. Muita história. Sua mãe praticamente a criou sozinha, pois seu pai abandonou a família e nunca mais retornou ou deu qualquer espaço para que houvesse um contato com a filha. Francesca tentou, mas ele não quis ser o pai dela. Esse é um trauma que nos é apresentado logo no início do livro o que fundamenta e muito as atitudes dela com o Vince.

Logo ela organiza um plano novo para sua vida, Francesca é revisora de livros para uma editora, então ela adianta o trabalho para poder ter um tempo maior e escrever seu próprio livro. Decide também que ler a sua obra, enquanto estiver em andamento, para um paciente em coma seria muito bom e a ajudaria no processo criativo. Ela se inscreve no programa de um hospital e logo é designada a cuidar de um paciente chamado Mitchell.

Em pouco tempo descobre que ele é um magnata que sofreu um acidente de carro e por isso estava em coma. Sua família raramente o visita e não há outras visitas também. O fato dele estar “sozinho” começa a criar uma conexão com Francesca que também sempre se sente sozinha. Mas a conexão que começa a se formar entre eles é muito mais do que uma simpatia. Então Francesca decide fazer tudo que puder para que Mitchell acorde. Faz cursos, tenta terapia com música e massagens…

A melhor amiga de Francesca, Olívia, começa a identificar um comportamento um tanto compulsivo na amiga e isso a preocupa. Então a coisa explode e todos se dão conta que ela se apaixonou por Mitchell, sem ele nem mesmo saber da sua existência.

Não vou contar mais da história porque se não perde a graça, mas o que expliquei do enredo não é nem 1% da história, acreditem em mim. O livro é narrado sobre algumas perspectivas: Mitchell, Francesca e às vezes um narrador em terceira pessoa. Não me entendam mal, o livro é narrado sempre em terceira pessoa, mas oscilando sob as perspectivas.

Francesca também tem outro amigo que a ajuda muito e que é bem presente na história, ele se chama Tom. Juntamente com Olívia, Tom é outro porto-seguro para as crises de Francesca.

A protagonista é descrita como uma mulher firme, mas que também sofre bastante com todas as decepções que vai encontrando pelo caminho. Definiria o livro como a história de vida de Francesca e como a presença dela começou a mudar a vida de Mitchell. Nada é muito previsível na história, mas a autora preza muito pelo sentido lógico das coisas. Tive muita emoção e alguns sustos. O que mais temia era que para um livro tão bem construído o final estivesse ralo, mas não é isso que acontece.

Tem um momento no livro que pensei que nada poderia acontecer de diferente e que a história já estava encaminhando pra o final, mas havia muitas páginas ainda, então comecei a me preocupar. Então veio Babi (a escritora) e me mostrou que muita coisa a mais poderia acontecer. Seria muito injusto terminar essa resenha sem falar do tipo de escrita de Babi, é uma escrita poética e profunda. Amei ler este livro, foi o melhor livro que li no ano de 2016 e super indico, principalmente para quem gosta de personagens bem construídos e histórias que mexem com nossas emoções.

55

Talvez você também goste...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *