Mulher Maravilha

Lançamento: Junho de 2017

Direção: Zack Snyder

Sinopse: Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar, certa de que pode parar o conflito.

Ao contrário do que se esperava Diana (Gal Gadot) não foi criada para ser uma incrível guerreira, pelo menos inicialmente. Sua mãe, Hipólita (Connie Nielsen), desejava muito uma filha e quando recebeu esse presente de Zeus, queria que ela apenas observasse e nunca participasse dos treinamentos, mas o sangue de Diana falava mais forte. Então sua tia Antíope (Robin Wright) começou a treiná-la desde cedo, claro que escondido.

Nesse contexto começamos a ver que apesar da estrutura ser bem rígida na ilha de Temiscira, e todas as guerreiras obedecerem fielmente Hipólita, elas também tinham desejos próprios. Diana é um excelente exemplo disso. Cresceu numa ilha habitada e governada por mulheres, treinou dia e noite, e quando um piloto cai no mar de sua ilha ela não pensa duas vezes antes de tirá-lo da água.

Quando Diana começa a conhecer um pouco sobre o mundo exterior através de Steve Trevor (Chris Pine) e também sobre a guerra mundial que estava acontecendo, ela não hesita e decidi ir com ele para acabar com a guerra, indo contra todos os ensinamentos das condutas das amazonas que deveriam ficar na ilha e protegê-la.

É muito interessante como a fé de Diana em suas crenças e seu estilo de vida se chocam completamente com o dia a dia das pessoas de Londres ou dos soldados em guerra. A diretora Patty Jenkins conseguiu fazer com que esse choque fosse muito evidente para nós, mas que não abalasse de forma alguma a personagem. Ela muitas vezes se comporta como uma pessoa curiosa. Se fosse nos dias de hoje Diana poderia ser interpretada rapidamente como uma lunática, mas estamos falando de uma guerra mundial, as pessoas tinham coisas melhores para fazer do que julgar os outros.

Inclusive o próprio núcleo de amigos de Steve não se importa em nada como que Diana pensa ou acredita, eles só querem parar a guerra. Ela estando junto com eles e lutando com eles era o que bastava, não seus ideais ou crenças. Falando sobre esse núcleo, é claro que eles não teriam muito espaço na trama, pois o filme se foca em Diana e Steve, mas tudo o que foi mostrado sobre eles para mim foi totalmente suficiente.

Sobre o relacionamento de Diana com Steve, já deixo claro para não se preocuparem, pois apesar de todo mundo saber que Steve faz par romântico com a Mulher Maravilha esse não é o foco do filme e sim o momento de conflito que eles estão vivendo. Ressalto até que é mostrado uma grande diferença de atitude de Steve com Diana e não do oposto quando eles dão um passo mais forte nesse relacionamento. Então algo fica bem claro sobre toda a história da Mulher Maravilha, ela não recebe ordens de ninguém. Diana sempre faz suas próprias escolhas e não se queixa delas depois se deram certo ou errado, ela assume a responsabilidade.

O filme é incrível, em todos os aspectos, cenas de lutas, enredo, interpretação, química entre os personagens, fotografia, caracterização, trilha sonora, tudo foi muito bem aproveitado. Espero que os próximos filmes da DC venham seguir também esse “check list”. Lembro também, que Gal Gadot não usou duble em todo filme. Percebemos muitas mensagens através do filme, mas uma das que mais gostei foi sobre como a personagem fica firmemente impressa em todos os elementos do filme. Se vocês ainda não viram, corram pra ver, com certeza será uma experiência única.

Talvez você também goste...

8 Comentários

  1. Oi
    que bom que gostou do filme, eu estou louca para assistir, mas vai demorar já que nem tem cinema na onde moro, todos falando bem e você foi mais uma, estou curiosa para conferir a atriz nesse papel.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    1. Oi Priih,
      Eu também chorei :'(
      Foi realmente um filme que me empolgou e emocionou.
      Que venham os próximos filmes ^^
      Bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *