Uncharted – Among Thieves

Essa é a sequência do “Uncharted – Drak’s Fortune” que já resenhei aqui no blog. A desenvolvedora continua sendo a Naughty Dog e o jogo foi lançado originalmente para o PS3 em outubro de 2009, sendo depois remasterizado para o PS4 em outubro de 2015 na coletânea que continha os três primeiros jogos do Drake. Lembro que essa franquia é exclusiva do Playstation.

O jogo foi imensamente aclamado pela crítica recebendo notas altíssimas, tendo uma pontuação global média de 96%. E ganhando vários prêmios também. Ele traz vários elementos novos, inclusive um multiplayer e um modo cooperativo que foi uma inovação da franquia.

O jogo começa com Drake se levantando após um acidente de trem. Ele está machucado e você precisa leva-lo a um lugar seguro. Durante esse trajeto Drake vai tendo flashbacks sobre o passado e como os acontecimentos o levaram a aquela situação. O interessante é que dentro dessas memórias você vai vivenciando-as novamente controlando o Drake e é quando o tutorial apresenta uma mobilidade diferenciada.

Agora ele não pode rolar mais no chão como antigamente, mas tem vários movimentos furtivos que foram acrescentados e você posse matar em stealth (assassinato silencioso), além de seus movimentos serem mais suaves que o primeiro jogo. O número de tesouros escondidos também foi aumentado de 60 para 100.

Drake está vivendo sossegado sua vida quando um velho conhecido o procura e pede sua ajuda para pegar um artefato para o seu cliente. Neste momento, uma das mais memoráveis personagens da série entra pela primeira em vez em cena, Chloe (atualmente existe um jogo solo dela). Chloe é uma antiga namorada de Drake e eles bolam um plano para passar a perna no outro e ficarem com o artefato. O suposto artefato levaria seu possuidor ao encontro da Pedra Cintamani guardada em Shangri-La.

A promessa de grandes tesouros aguçam os sentidos de Drake e Chloe e eles embargam nessa viagem. Infelizmente Drake é traído e preso, mas Chloe propõe que eles trabalhem juntos para conseguir o tesouro. Durante quase todo o jogo Sully e Chloe servem como personagens de apoio no combate para auxiliar Drake. Ao longo do jogo encontramos Helena que também o ajuda.

A beleza do jogo e a variedade de lugares impressionam. A história é toda muito bem amarrada e alucinante. Você literalmente sai correndo com o Drake e enquanto pega tesouros pelo caminho. Os únicos momentos em que temos um tempo de tranquilidade é quando vamos resolver os puzzles (quebra cabeças). E usamos como apoio nas resoluções um caderno de anotações.

O jogo é tão alucinante que na primeira vez que joguei nem senti o tempo passar, além de ter pegado poucos tesouros, pois sempre acontecia muita coisa na tela. Ainda vou rejogar para zerar completamente essa questão, já que gerar os troféus é uma dificuldade a parte.

A história do jogo e seu desfecho surpreendem completamente. A interação dos personagens continua sendo muito intensa, a trilha sonora é maravilhosa. Há uma visível melhoria nos gráficos e jogabilidade apesar de às vezes a câmera continuar travando em alguns pontos. Há muitos troféus para conquistar e uma variedade boa de armas para usar. Até o momento é o meu jogo favorito da franquia. Os acontecimentos do jogo trazem uma maturidade e crescimento pessoal para cada personagem de uma forma muito natural. E vocês? Já jogaram? O que acharam? Me contem nos comentários ^^.

Talvez você também goste...

2 Comentários

  1. Amiga
    Você sabe que pra mim, esse também é um dos melhores, mesmo não tendo jogado rsrsrs Achei o enredo desse jogo e o desenvolvimento de cada um dos personagens bem interessante, até mesmo as motivações. As cenas de ação são um plus, acho que jogá-las deve ser ainda mais louco rsrsr
    Aguardando suas próximas resenhas ^^
    bjus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *