Livros

A Culpa é das Estrelas – John Green

15/09/2014

a culpa é das estrelas

Queria ter visto o filme antes de ler o livro, mas acabou acontecendo o oposto. Depois que ver o filme posto aqui as minhas considerações em comparativo com o livro. 
 
A escrita do autor nos dá a sensação de um dia ser vivido de cada vez, não é como a maioria dos livros onde a narrativa é frenética. Então há dias que acontecem coisas e dias em que não acontecem nada.
O livro conta a história da Hazel Grace, paciente de câncer, e sua luta para sobreviver. No decorrer do livro ela faz amizade com Isaac, também vítima de câncer, e com Augustus Waters, ex-paciente em atual estado SEC. É como eles chamam pessoas que estão sem câncer já algum tempo.
A relação de Hazel com os pais é um tanto conturbada, principalmente com a mãe. Ela não é de ficar discutindo, mas tem ciência do estado de sua doença e sabe que pode morrer a qualquer momento, por isso se preocupa com a mãe sempre cuidando dela. Isso gera um medo terrível de que algo ruim possa acontecer com seus pais depois que se for. Apesar de Hazel fazer parte de um tratamento experimental bem sucedido, todos sabem que é só para prolongar sua vida e não para curá-la. Então essa situação dá margens para uma série de discursões em família que entendo ser perfeitamente normal, devido às circunstâncias.

Por causa da doença, Hazel foi retirada da escola e fez provas para concluir os estudos, o que significa que ela foi privada do convívio de amigos, exceto uma amiga que continuava em contato com ela às vezes. Então acaba sendo impelida pela mãe a participar de um grupo de apoio no qual conhece Isaac, e em uma das reuniões conhece Augustus. Como o estado de Isaac piorou, seu amigo Augustus foi lá para dar uma força e desde o momento que coloca os olhos em Hazel não consegue mais tirar.
Então se desenvolve uma série de acontecimentos que os tornam mais próximos, o ponto principal é a partilha do gosto de Hazel por um livro em especial e seu autor. Um livro que não tem final e que deixa Augustus determinado a entrar em contato com o autor para descobrir. Ele e Hazel entram numa jornada para conseguir isso e chegam a viajar para Holanda a fim de obter as respostas, mas algo não estava bem com Augustus, ele tem uma recaída.
Hazel fica sabendo disso durante a viagem, mas já era tarde para ela sequer pensar em se afastar, estava apaixonada demais por ele. A doença dele volta bem mais forte e dia após dia ele vai ficando mais fraco e debilitado. É quando o leitor percebe que o livro não vai tratar da morte de Hazel e sim de outra pessoa. Todos estavam preparados para a morte dela e não da dele. Ela se intitulava uma granada e acabou tendo que lidar com uma granada.
Não há dúvidas do amor de Hazel por Augustus, mas ela me deixa profundamente chateada quando em um ponto do livro diz que ele não é mais nem a sombra do que já foi. Como ela poderia dizer isso dele? Até o final ele estava lá com ela. Ele estava preparado para enfrentar esse tipo de situação com ela, mas ela não estava. E apesar de lidar com isso de uma forma natural não conseguiu enxergar que até o final Augustus continuava sendo Augustus e não um ser comido por uma doença.
Confesso totalmente que da página 194 – 283 chorei sem parar e haja lenço para conter as lágrimas. Sobre o Van Houten, o escritor, ele me pareceu boçal o livro inteiro, apenas no final fez algo que prestasse.
Não importa o tamanho da dor que você enfrenta como vai lidar com ela e com as pessoas próximas a você é que faz a diferença.

Você pode ler também...

3 Comentários

  • Reply Amanda Almeida 17/09/2014 at 7:36 pm

    Oi Amiga, tudo bem?
    Eu entendo um pouco da sua frustração com a Hazel, mas eu meio que entendo um pouco ela. É difícil estar morrendo, e tadinha, ela é uma adolescente, eles são irritantes em muitos momentos as veze srsrrs ( me sentindo a velha agora)
    ótima resenha.
    bjus,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

  • Reply Bk. 18/09/2014 at 3:50 pm

    Quero ler esse livro, mas fico nessa de leio, não leio, leio, não leio… haha Mas já vi o filme e gostei bastante. Não cheguei a choras, mas é uma história muito lindinha!
    Meu Blog
    Página no Facebook

  • Reply Kelen Vasconcelos 19/09/2014 at 4:17 pm

    Só posso dizer que fui ler esperando algo e vi outra coisa. É muito tranquila a forma como ele escreve. Curti várias partes de reflexão da Hazel e super indico a leitura. Bjos

  • Leave a Reply